13/04/09

Segredas...

Um copo de vinho partido
Alma doce amargurada
Coração, destroçado, embebedado
pela essência pura da madrugada

Acordar,nu vestido por ti
Num sorriso efémero meu verso
poisar no teu coração escaldante
por um olhar meramente excitante

Despir-te, a capa do preconceito
perder-me encontrar-me
só, contigo no leito.
vir-me aterrar-me

Naquilo que segredas, segregas...
nas palavras que na minha alma pregas
escondes as hesitações e deixas-nos
sós, com as paixões.

Sem comentários: