22/04/09

Sem ti, nada me acalma

De um bocejo sou feito
ínfimo, secreto, como um segredo
conjugo-me no mais que imperfeito
acordo desnudo, gelado pelo medo

agarro-me ao nada que é tudo
sofro contigo e por ti
deprimo, mas de ti nada mudo
simplesmente me incorporo em ti

me evaporo na tua alma,
transpiro prazer nos teus braços
planto sonhos na tua palma
sigo os teus leves passos

contudo sem ti,
nada me acalma!

Sem comentários: