28/10/09

Infinito



Desprender a maré
Do tal intenso prazer
Apesar de não ser
Aquilo que é

Ocultar o desejo
De conhecer o mundo
Num bocejo
Lá bem no fundo

Navegar nos confins
Desse mar infinito
Acordar a Terra com um grito.

1 comentário:

Aglaé disse...

seu blog é maravilhoso!
bom tê-lo descoberto
.
um abraço
.aglaé.