16/01/10

Caneta Divina

Engenhos empolgantes
Cavaleiros do zodíaco
Dourados semblantes
Entre o pecado afrodisíaco
E as preces entediantes
Do mundo reescrito
Nas linhas do horizonte
Um colossal monte
De acesso restrito
Briga tão infinita
Consoante o veneno
Nos seus corpos se agita
O mal escapa, o bem grita
Vacila mas alucina
A triste humana sina
Traçada aos solavancos
Por uma caneta divina.

Sem comentários: