10/01/15

EM NOITES VIGILIAS

O que diluis como sagrado 
sorves como embalsamado à luz
do sobre-tempo infinito
suspenso na bússola do
réu rindo até que a morte
os separa como na ilustre casa de
Ramirez onde o atum e as pupilas
saltam e assaltam o chá das camomilias.


Sem comentários: