10/07/17

Quando a noite cai desgarrada
Que nem um sopro imprevisto
O arranhão dos dias é
Uma espada incendiária
Com um cisco dourado
Apontando em direção
ao negrume suspenso no orvalho
Tu que me olhas...
Ser vivo alucinado.

Sem comentários: